Acontece

01 ago A banda Os Paralamas do Sucesso comemora 30 anos de carreira na Concha Acústica do TCA

A banda Os Paralamas do Sucesso comemorou, no dia 31 de julho de 2016, 30 anos de carreira na Concha Acústica do Teatro Castro Alves.

A Sole Associados agradece a confiança e a oportunidade de ter contribuído no projeto de requalificação da Concha Acústica.

Mais

22 jul Solé Associados apresenta o projeto de restauro do Theatro Sete de Abril

2016-21-07_T7A

O projeto definitivo de restauro do Theatro Sete de Abril foi apresentado ao prefeito Eduardo Leite e convidados, na tarde desta quinta-feira (21/07/2016), pela Solé Associados, empresa contratada para desenvolver a proposta. Foram projetadas melhorias na climatização, áreas elétricas, cênico, hidráulico, estrutural, luminotécnico, além de interiores e restauração do Theatro. A apresentação ocorreu no Salão Nobre do Paço Municipal.

Após a apresentação, o prefeito destacou a importância da retomada do restauro do Theatro, que já havia recebido novo telhado em 2014. “Ao concluir a obra da cobertura do Sete de Abril, consertamos o que oferecia risco imediato à estrutura. Agora, queremos concluir, com este projeto, a restauração completa do Theatro, que é um orgulho para Pelotas”, afirmou Eduardo.

O projeto prevê ainda a construção de backstage (no subsolo e primeiro pavimento) – que irá abrigar os equipamentos técnicos, como geradores e ar-condicionado, banheiros, novo elevador na entrada e plataforma móvel de acesso ao palco, para facilitar o deslocamento de pessoas com dificuldade de locomoção. As melhorias já estão adaptadas às regras obrigatórias de acessibilidade e Plano de Prevenção Contra Incêndios (PPCI).

Orçado em quase R$ 20 milhões, o projeto aguarda a captação de recursos para início das obras. Está previsto, por meio do PAC Cidades Históricas, o repasse de R$ 7 milhões para o restauro do Sete de Abril. A prefeitura irá buscar autorização junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para compartilhar deste valor junto a um processo licitatório que vai selecionar a empresa interessada em executar a obra.

Sócia da empresa responsável pelo projeto, Antonela Solé destacou que a ideia foi “manter a originalidade do Theatro em tudo que fosse possível, não interferindo no patrimônio existente”. A apresentação foi realizada em conjunto com Ismael Solé.

Ao fim da cerimônia, o prefeito fez a entrega oficial do projeto de restauro do Sete de Abril à presidente do Conselho Municipal de Cultura (Concult), Marta Bonow e à presidente da Associação dos Amigos do Theatro Sete de Abril (Amasete), Annie Fernandes.

Fonte: Prefeitura Municipal de Pelotas

Mais

11 jan Ismael Solé quer planejamento turístico para o Theatro Sete de Abril

Theatro Sete de Abril foi interditado pelo Ministério Público Federal está há mais de cinco anos fechado.

Profissional com 50 obras no currículo crê na força da Metade Sul (Foto: Infocenter DP)

Profissional com 50 obras no currículo crê na força da Metade Sul (Foto: Infocenter DP)

O problema da gestão do Theatro Sete de Abril não se refere apenas às portas fechadas há mais de cinco anos. Na verdade, é esta a consequência de uma falta de planejamento turístico que utilize de boa forma o status que tem o teatro público de Pelotas de ser o mais antigo “em funcionamento” no Brasil. Essa é a opinião de Ismael Solé, arquiteto responsável pelo projeto de restauro do local. De passagem pela cidade na última semana, ele conversou com o caderno Zoom.

São mais de cinquenta teatros no currículo. Tudo se iniciou em 1979 com a restauração do Theatro São Pedro, cartão postal de Porto Alegre. Desde então passaram pela empresa gaúcha obras no Theatro Municipal de Paulínia, a Caixa Cultural de Recife, o Theatro José de Alencar, em Fortaleza e, mais recentemente, salas em shoppings como o Bourbon Country.

A ligação do arquiteto com o Theatro Sete de Abril data de antes da contratação para o projeto de restauro via licitação pública. Quando na presidência na Fundação Theatro Sete de Abril, a professora e artista Nina Paixão montou um plano de recuperação do prédio e chamou Solé para uma consultoria. Até então todas as iniciativas tomadas eram meramente cosméticas, diz ele, e neste momento se buscou ir ao centro dos problemas estruturais. “Tudo muito defasado. A cenotecnia, por exemplo, inexiste. Não há um equipamento, o palco é limpo e adaptado para o início do século 19”, comenta.

Muito falta
Para ele, entretanto, a explicação vem de passos muito anteriores: erra-se principalmente no planejamento estratégico. “Ele é um equipamento cultural muito importante. Pelotas teve teatro antes de Porto Alegre, é o teatro mais antigo do Brasil em atividade. São dados de muita relevância e que tem que saber usar. Aí sim um uso político”, argumenta.

O arquiteto lembra que a construção do Theatro São Pedro, na capital gaúcha, só se deu na década de 1850, na mesma época em que surgiram casas do mesmo gênero em capitais como Recife. Segundo ele, tal dado prova que Pelotas antes dos grandes centros sentiu a necessidade de um local voltado à cultura. “Remete à importância da cidade à maturidade cultural, à civilidade do município no início do século 19. O teatro é um templo disso tudo, é quando se sai da necessidade básica para começar a questionar”, diz, destacando ser necessário ter a medida do tamanho do Sete de Abril – algo que, acredita, nunca houve.

Para ele, os esforços para que o prédio volte a ser imponente não devem se restringir à Secretaria de Cultura, mas sim a uma ação conjunta com os setores de turismo e obras, por exemplo, para que se use o teatro como o início de uma nova era em que a Metade Sul – cita Jaguarão, Arroio Grande e Pedras Altas como outros sítios históricos interessantes na região – se valorize nesta área. “Há um patrimônio muito importante que não vê um plano de gestão econômica. Não se vê formas de enxergar esse patrimônio não como despesa, mas como fonte de riqueza. É um olhar que se precisa ter”, afirma.

Primeiro é necessário fazer uma reflexão das forças vivas da cidade para que todo o acervo se transforme também em um negócio, segundo o arquiteto. “Isso tudo envolverá hotelaria, restaurantes, criar novas rotas. O maior centro de turismo doméstico brasileiro é Gramado e Canela. E lá não tem nada do que tem aqui. Mas eles souberam gerir. Não precisamos imitar, mas olhar o que deu certo”, comenta. No caso específico do Sete de Abril, Solé diz que mais do que cobrar prefeitura e secretarias, é necessário que a população haja de forma independente para reerguer um prédio que, sendo público, é seu.

Demora normal
Já se vão cinco anos desde que o Theatro Sete de Abril foi interditado pelo Ministério Público Federal baseado em um laudo que apontava o comprometimento de seu telhado, bem como a estrutura de alvenaria. O relógio seguirá contando: 2016 será um ano marcado pela burocracia da aprovação do projeto elaborado por Solé junto ao Corpo de Bombeiros, o Sanep e o Instituto de Patrimônio

Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do lançamento de uma licitação para colocá-lo em prática.

Segundo o arquiteto, a demora para a continuidade das obras é normal. Diz ele que a média de duração das reformas que participou vai de 6 a 8 anos e que é preferível que haja paciência na reconstrução do que o uso da pressa para que a reinauguração sirva pura e simplesmente como argumento eleitoreiro. Cita o restauro do Theatro São Pedro. Realizado em 1984, precisou não mais do que reparos pontuais desde então. Ele, entretanto, diz que acompanhará de perto os próximos passos para que seu projeto não sofra alterações, tendo em vista que todas suas partes são interligadas. “A parte de refrigeração, por exemplo, está diretamente associada com a exaustão de fumaça”, cita.

Por: Leon Sanguiné
leon.sanguine@diariopopular.com.br

Fonte: Diário Popular – Pelotas – 5 de janeiro de 2016

Mais

22 dez Teatro CIEE recebe Prêmio Açorianos de Incentivo à Dança

A Solé Associados desenvolveu, para o Teatro CIEE, os projetos de cenotecnia e acústica em uma parceria com o arq. Pedro Simch.

“O Teatro CIEE recebeu nesta terça-feira, 15/12, o Prêmio Açorianos de Incentivo à Dança. Além de receber espetáculos de dança, o Teatro costuma ceder seu espaço para apresentações de grupos de dança de escolas municipais de Porto Alegre contribuindo para fomentar o acesso à cultura.

O teatro foi representado pela gestora do Centro de Eventos e Teatro CIEE Lizete Guerra Pocos e pelo supervisor Rafael Lisboa.”

Fonte: Fróes, Berlato Associados

Mais

30 nov Em entrevista à Rede Social, o Diretor Presidente da Solé Associados Relata a Trajetória da Empresa

 

Ismael Solé: “Estimulamos que os teatros históricos fossem restaurados, e não derrubados”

O atual diretorgeral da Solé Associados, especializada em projetos de espaços culturais, foi responsável por levantar diversos teatros do Brasil

28/11/2015 – 09h01min
Ismael Solé: "Estimulamos que os teatros históricos fossem restaurados, e não derrubados" Andréa Graiz/Agencia RBS

Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Em 1972, uma violinista quase foi atingida pelo pedaço de um refletor que caiu durante um recital no Theatro São Pedro. Chateada, Eva Sopher decidiu que era hora de fechar o prédio — que ficou de portas cerradas pelos próximos 12 anos.

Dona Eva, como é mais conhecida a presidente da Fundação Theatro São Pedro, conta que a casa de espetáculos só continua “em pé” por conta de um incentivo que seu saudoso marido, Wolfgang Sopher, lançou-lhe na época:

— Disse para ele que não tinha achado ninguém para assumir a coordenação da restauração, e ele respondeu: ” Ou você faz ou vão derrubar o São Pedro!” — conta.

Foi quando Eva resolveu assumir como mestre de obras e, em 1979, conheceu Ismael Solé. Na época com 29 anos, o engenheiro foi contratado para tocar a reestruturação do prédio.

O atual diretorgeral da Solé Associados, especializada em projetos de espaços culturais, foi responsável por levantar diversos teatros do Brasil. Mas este tem um peso diferente: foi o primeiro.

— É a minha iniciação. É como se eu tivesse feito vestibular para a faculdade, e a Dona Eva fosse a reitora — brinca ele.

Em visita a Porto Alegre para celebrar o marco de cem projetos entregues em 11 Estados, Solé relembrou ao lado de Eva episódios da reforma daquele que é considerado um dos mais belos teatros do país.

— Já faz 31 anos que o São Pedro reabriu e nunca mais fechou. A gente trabalhou muito para mostrar que era possível, estimulando que os teatros históricos fossem restaurados, e não derrubados.

Quando reabrimos, em 1984, o grande elogio que pudemos receber foi o de que não havia mudado nada. Conseguimos reconstruí- lo, mas sem jogar fora a identidade da obra. O esquema foi tão minucioso que até o famoso lustre teve que ser refeito.

Desaparecido misteriosamente durante uma reforma realizada na virada do século, a peça precisou ser redesenhada pelo artista Carlos Antônio Mancuso, com base em um texto da época da inauguração, que a descrevia em detalhes.

E foi depois desta grande estreia na carreira que Solé foi convidado para encabeçar o projeto da Sala São Paulo — a primeira sala sinfônica do país, construída a partir de uma antiga estação de trem na capital paulista.

Dali, partiu também para a arquitetura contemporânea, e destaca a Cidade da Música — agora Cidade das Artes —, no Rio, como seu plano de construção ” do zero”.

Atualmente, Solé volta às origens e se dedica a erguer o Multipalco, extensão conectada ao Theatro São Pedro. E lembra a importância da sociedade para auxiliar no andamento da obra:

— A Eva não está aqui todos os dias à toa, ela está aqui porque tem uma obra para terminar. Ela tem essa capacidade de falar a mesma linguagem dos empresários, de chamá- los à responsabilidade de participar desse tipo de obra.

Fonte:  REDE SOCIAL – CLICRBS

Mais

13 nov Jornal “O Sul” divulga o coquetel, no Theatro São Pedro, em comemoração à marca de 100 projetos alcançada pela Solé Associados.

Solé Associados comemora a conquista de 100 projetos em evento no Theatro São Pedro

Na foto, o presidente da Solé Associados, Ismael Solé. FOTO - Jackson Ciceri
Na foto, o presidente da Solé Associados, Ismael Solé. FOTO – Jackson Ciceri

A Solé Associados, uma das principais empresas de projetos de teatro do País, comemora neste segundo semestre de 2015, mais de 100 projetos entregues em 11 estados brasileiros. Para marcar a conquista, o diretor-presidente da empresa, Ismael Solé realizou ontem à noite um coquetel no Theatro São Pedro, na Capital. No evento, a fundadora do local, Eva Sopher, guiou os convidados em uma visita pelos corredores, que, em seguida, puderam assistir a apresentação de Renato Borghetti.

O motivo pelo qual o Theatro São Pedro foi o local escolhido para comemorar a soma dos 100 projetos criados pela Solé é o carinho enorme que Ismael Solé tem pelo local, que de 1979 a 1984 foi a sua primeira escola no segmento. “Aqui foi onde eu aprendi a lidar com todo o tipo de equipamento, foi minha academia”, conta ele, que participou de toda a obra da construção. Depois disso, aprendeu a manusear toda a parte técnica do espaço, o que resultou em todo um conhecimento do que é um teatro.

São 40 anos de profissão e de dedicação ao meio cultural. Ismael destaca o conceito do Theatro: “É uma joia como desenho, um clássico do teatro italiano”. Ele revela, com carinho, que além dessa obra, outras duas destacaram-se em meio a centena conquistada. “O complexo Cidade das Artes e o Museu da República (RJ) também são muito significativas para mim”, lembra, do reconhecimento internacional em países da Europa e nos Estados Unidos, resultado desses projetos.

Fonte: O Sul – Solé Associados comemora a conquista de 100 projetos em evento no Theatro São Pedro

Mais
Nando Chiappeta_DP_DA_Press02

12 nov THEATRO DE SANTA ISABEL RECEBE O PRÊMIO CENYM 2015 COMO MELHOR TEATRO DO BRASIL

O Theatro de Santa Isabel, no Recife, cujos projetos de restauro e modernização do palco foram desenvolvidos pela Solé Associados, recebeu o prêmio Cenym 2015, realizado pela Academia de Artes no Teatro do Brasil.

O Theatro de Santa Isabel disputou o título com espaços como o Teatro Castro Alves (Bahia) e Teatro Bradesco (São Paulo).

Fonte: Diario de Pernambuco – 10 novembro 2015

Crédito foto:  Nando Chiappeta/DP/D.A Press

Mais
ChristianoCardoso-EstúdioSportsMag-2451

11 nov Solé Associados comemora a marca de 100 projetos de teatros


A Solé Associados comemora neste mês a marca de 100 projetos de teatros desenvolvidos em 11 estados brasileiros, além de Argentina e Peru. Para marcar esta conquista, convidou um grupo de formadores de opinião para um encontro muito especial. No final da tarde do dia 11 de novembro, a diretoria da Solé recebeu os jornalistas para um coquetel no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, primeiro projeto de restauração com assinatura da empresa. Após o bate-papo, os convidados assistiram, à convite da Solé, ao show de Renato Borghetti.

Crédito foto: Christiano Cardoso

Mais
paulinia

17 jul Theatro Municipal de Paulínia é escolhido para o concurso SculpLight Contest Brasil 2015

O Theatro Municipal de Paulínia, cujos projetos foram desenvolvidos pela Solé Associados, foi escolhido como tema para o SculpLight Contest Brasil 2015, concurso de instalações temporárias de iluminação com edições em todo o mundo.

Oito projetos foram apresentados e três deles foram premiados. Os mais bem classificados foram:

  • 1º Lugar: Luz e Tempo em cena, de Gabriel Vinagre e Solange Stork
  • 2º Lugar: Luzes Efêmeras – Teatro Municipal de Paulínia, de Alan Cavassani, Barbara Pinheiro e Plínio Godoy
  • 3º Lugar: Essência, de Maria Carolina de Oliveira Braga, Natália Mello Morassi e Viviane Cristina Oda

Confira abaixo o vídeo da proposta vencedora:

Saiba mais sobre o concurso no site da Schréder do Brasil.

Mais